domingo, 19 de setembro de 2010

Dorival Caymmi - Canções Praieiras (1954)

Caymmi, em seu primeiro LP. Publicado em 1954 pela gravadora Odeon.

Neste disco, simplicidade e poesia na voz inconfundível deste violonista, cantor e compositor genial.

O Mar como mote e canções perfeitas.

"Algumas das melhores canções praieiras que ele fez estão reunidas neste "long playing" em que atuam apenas a voz e o violão de Caymmi." [Texto extraído da capa do LP].

"O mar quando quebra na praia
é bonito, é bonito".

Para ouvir Dorival, clique em: Canções Praieiras (1954).

Arquivo originalmente publicado por LORONIX.

O Disco:

1. Quem vem pra beira do mar (Dorival Caymmi)
2. O "bem" do mar (Dorival Caymmi)
3. O mar (Dorival Caymmi)
4. Pescaria (Canoeiro) (Dorival Caymmi)

1. É doce morrer no mar (Dorival Caymmi)
2. A jangada voltou só (Dorival Caymmi)
3. A lenda do Abaeté (Dorival Caymmi)
4. Saudade de Itapoan (Dorival Caymmi)

sábado, 18 de setembro de 2010

Elis Regina - Viva a Brotolândia (1961)


Eis, aqui, o primeiro disco de Elis Regina: "Viva a Brotolândia". Gravado pelo selo Continental, em 1961, quando a intérprete ainda tinha apenas 16 anos de idade.

Para ouvir: Viva a Brotolândia.

O CD

1. Da sorte (Salvador)
2. Sonhando (Ellis - Vorzon)
3. Murmúrio (Djalma Ferreira - Luiz Antônio)
4. Tu serás (Ângela Martignoni - Othon Russo)
5. Samba feito para mim (Paulo Tito)
6. Fala-me de amor (Markus - Rotter)
7. Baby face (Davis - Akst)
8. Dor de cotovelo (João Roberto Kelly)
9. Garoto último tipo (Paul Anka)
10. As coisas que eu gosto (Hammerstein - Rodgers)
11. Mesmo de mentira (Carlos Imperial)
12. Amor, amor (B. Caesar)

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

MPB4 - 1964 - Samba Bem

Primeiro disco do grupo vocal e instrumental MPB4, um compacto duplo publicado pela Sarau, no ano de 1964.

O MPB4 foi formado em meados da década de 1960 no município de Niterói, estado do Rio de Janeiro. Inicialmente composto por Miltinho (Milton Lima dos Santos Filho, Campos dos Goytacazes, RJ, 18 de outubro de 1943), Magro (Antônio José Waghabi Filho, Itaocara, RJ, 14 de novembro de 1943), Aquiles (Aquiles Rique Reis, Niterói, RJ, 22 de maio de 1948) e Ruy Faria (Ruy Alexandre Faria, Cambuci, RJ, 31 de julho de 1937). Recentemente (2004), com a saída de Ruy Faria, os remanescentes do grupo  se juntaram a Dalmo Medeiros (Rio de Janeiro, RJ, 26 de novembro de 1951), ex-integrante do grupo Céu da Boca.

Para ouvir, clique em: MPB-4 - 1964 - Samba Bem.

O arquivo aqui indicado foi publicado originalmente no sítio Toque Musical.


O Disco

Face A

1. Mascarada (Zé keti & Elton Medeiros)
2. Lavadeira (Dalto Medeiros & De Silveira)

Face B

1. Vida do Sem (Wagabi & Miltinho)
2. Samba da Minha Terra (Dorival Caymmi)


Ouça "Samba da Minha Terra" de Dorival Caymmi:


Fontes consultadas:

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Inezita Barroso - Vamos falar de Brasil (1958)

"Vamos falar de Brasil", originalmente gravado pelo selo Copacabana (CLP 11016), em 1958, traz doze músicas representativas do cancioneiro e folclore brasileiros que buscam mostrar a nossa grande diversidade musical.

Ignez Magdalena Aranha de Lima, ou, como é conhecida, Inezita Barroso, nasceu em São Paulo, a 4 de março de 1925. É cantora, atriz, instrumentista, apresentadora de rádio e televisão, folclorista, professora Doutora Honoris Causa em folclore e arte digital pela Universidade de Lisboa e, ainda, atua ativamente no cenário musical, em shows, teatro e produzindo espetáculos musicais de repercussão nacional e internacional.

Hoje, aos 85 anos de idade, é, há 30 deles, apresentadora do programa sertanejo "Viola, Minha Viola", da TV Cultura de São Paulo. Este, o programa musical de maior longevidade da televisão brasileira; é apresentado aos domingos e reapresentado aos sábados, semanalmente.

(Fontes consultadas: Wikipedia e Luiz Américo - A História da MPB).


Para ouvir Inezita Barroso: Vamos falar de Brasil (1958).

A versão aqui divulgada foi ripada a partir de vinil pelo sítio Abracadabra - LPs do Brasil. Visitem-no, lá encontrarão uma grande e interessante diversidade musical!
Minhas saudações à Bruxa do Vinil!

O Disco:

Face A

1 - Retiradas (Oswaldo de Souza)
2 - Peixe vivo (Nonô Timoneiro) (Rômulo Paes-Henrique de Almeida)
3 - Engenho novo (Hekel Tavares)
4 - Zabumba de nego (Hervé Cordovil)
5 - Lampião de gaz (Zica Bergami)
6 - Ismalia (Alphonsus de Guimarães-Capiba)

Face B

1 - Festa do congado (Juracy Silveira)
2 - Temporal (Paulo Ruschel)
3 - Luá, luá (Catulo de Paula)
4 - Azulão (Jayme Ovalle-Manoel Bandeira)
5 - Seresta (Georgina Erismann)
6 - Moda da pinga (Laureano-Raul Torres)

"Moda da pinga":

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Milton & Chico - Compacto Simples (1977)


"Cio da Terra" e "Primeiro de Maio" saíram neste compacto simples datado de 1977 e publicado pela gravadora Phillips.

Músicos: Chico Buarque (voz), Milton Nascimento (voz, violão; órgão em "Primeiro de Maio"), Beto Guedes (bandolim em "Primeiro de Maio"), Francis Hime (piano em "Primeiro de Maio"), Nelson Angelo (guitarra), Naná Vasconcelos (percussão em "O Cio da Terra"), Novelli (baixo; surdo em "O Cio da Terra"), Robertinho Silva (bateria), Wagner Tiso (órgão em "Primeiro de Maio")

Para ouvir: Milton & Chico - Compacto simples (1977).

Lado A

1. "Primeiro de Maio" (Chico Buarque, Milton Nascimento).

Lado B

2. "O Cio da Terra" [Chico Buarque, Milton Nascimento, Jim Webb (versão)].


terça-feira, 14 de setembro de 2010

Noel Rosa - Com que Roupa? / Malandro Medroso (Compacto, 1930)

"Com que Roupa? - Malandro Medroso", de 1930, foi a primeira gravação realizada por Noel Rosa e foi publicado pelo selo Parlophon em discos de 78 rotações, o padrão da época (Fonte: Dicionário Cravo Albin da Música Popular Brasileira).

(Noel de Medeiros Rosa, 11 de Dezembro de 1910, Rio de Janeiro, RJ - 4 de Maio de 1937, Rio de Janeiro, RJ).

------
Veja o que diz Cruz Cordeiro, um jornalista da época na Revista Phono-Arte, sobre este disco:

“Noel Rosa, que pertence ao já popular Bando dos Tangarás, aparece como autor do samba “Com que roupa?”, cantado por ele, com acompanhamento de regional, na primeira faixa do disco nº 13.245, da Parlophon. “Esse samba desde logo projetou-se como um dos grandes sucessos, apresentando-se como um dos prováveis êxitos do carnaval que aí vem. Ao nosso ver, esse samba que todo o Rio já sabe de cor, é excelente pela originalidade da letra e o sabor esquisito do ritmo, dentro do qual a letra esta magnificamente bem enquadrada. Reparem os amadores como caem bem dentro da música e do ritmo as rimas conduta, luta, fruta, sopa, roupa, estopa. Enviamos daqui os nossos parabéns a Noel Rosa pela originalidade do seu samba, que ele próprio canta com graça e especial sabor, acompanhado por adestrado regional. No complemento, aparece o samba “Malandro medroso”, peça que não se mostra digna companheira do que está gravado no outro lado”.


É isso, depois tem mais Noel.

Para ouvir: Com que Roupa? / Malandro Medroso (1930).

Ou: